Arquivo | maio, 2012

Instalando o MS Office 2010 no Ubuntu 12.04

10 maio

Emulador Windows?

Como todos sabemos o Wine (Wine Is Not Emulator) não é um emulador windows para linux, é a implementação de uma API do Microsoft Windows para UNIX, permitindo executar programas Windows nativamente por exemplo no Linux. Isso se deve ao fato de que as bibliotecas do Windows foram reimplementadas para UNIX, ou seja, Wine fundamentalmente é Windows para UNIX, porém não é emulador, muito menos é o Windows propriamente dito, é uma Camada de Compatibilidade, uma API desenvolvida para UNIX, é um tradutor que roda programas para Windows no UNIX. Uma curiosidade é que, nos seus antepassados, o Wine era chamado de WINdows Emulator, só depois foi incorporado o acrônimo recursivo. 😉

Ah, entendi! Mas como eu instalo o Wine?

Bom basta usar o terminal e deixar o linux fazer a magia acontecer:

$ sudo apt-get install wine

Ou então, procurar na Central de Programas do Ubuntu por “wine”, e clicar em instalar. 😉

Se por um acaso você não tem o repositório do Wine na sua máquina. Adicione usando o PPA e atualize o cache dos pacotes que você vai conseguir!

$ sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-wine/ppa
$ sudo apt-get update

Lembrando que para o MS Office Professional 2010 rodar, a versão do Wine precisa ser 1.3 ou superior. A atual versão do Wine é a 1.4. Após a instalação você pode verificar a versão através do comando:

$ wine --version

No meu caso mostrou no terminal “wine-1.4”.

Beleza! E agora, como eu instalo o Office 2010?

1. Bom para instalar o Office 2010, é necessário antes instalar 2 DLLs e um pacote de fontes. Então, procure no Dash e abra o “Winetricks“, escolha a opção “Select the default wineprefix” e depois a opção “Install a windows DLL or component“, marque e instale as seguintes DLLs: dotnet20 e msxml6. Depois de baixar e instalar, é necessário instalar o corefonts, através do caminho “Select the default wineprefix” e “install a font“.

2. Não basta só instalar, é necessário configurar o msxml6, procure no Dash o aplicativo “Configurar o Wine“. Seleciona a aba “Bibliotecas“, selecione o *msxml6, clique em [Editar…] selecione “Nativa (Windows)” e aplique as configurações.

3. Instale normalmente o Office 2010, como se estivesse instalando o Windows. Lembrando que você pode utilizar uma ISO ou CD, ou pode ter os arquivos de instalação, se não abrir o setup.exe, mude as permissões para “Permitir a execução do arquivo como um programa” e defina o programa padrão para abrir exe como o “Carregador de aplicativos Windows Wine“. E abra novamente.

4. Volte para o winecfg (Configurar o Wine), e vá em [Adicionar] as “Bibliotecas”, inclua o riched20 e o gdiplus, e não esqueça de [Editar…] ambos para “Nativa (Windows)“.

5. Verifique se consegue abrir o Word, Excel e Powerpoint. 😉

Confira a transformação da Água em Vinho…

Para quem não acredita, vai um screenshot do Word 2010, Excel 2010 e Powerpoint 2010 funcionando no Ubuntu 12.04 com o Wine 1.4:

Abraços!

Anúncios

Instalando o Rails 3.2.3 no Ubuntu 12.04 em um comando

9 maio

Bom pessoal depois de muitas tentativas e erros, para instalar o Ruby on Rails mais recente no Ubuntu, não utilize apt-get, não utilize as gems, não quebre a cabeça com muitos comando, baseado no RVM, abra seu terminal e execute o comando a seguir: 😉

$ wget http://viniciusrodrigues.herokuapp.com/bash/rails-installer.sh && chmod +x rails-installer.sh && bash -l ./rails-installer.sh

Mas, só isso?

Só! Digite a senha quando pedir e deixe que a magia do linux te comova…

Baseado em: Sudobits Blog

Adicionar Aplicativo ao Dash no Ubuntu 12.04

3 maio

Quem vem acompanhando a mudança que o Ubuntu vem sofrendo, percebe que o foco das mudanças está relacionado a experiência de usuário e ao desempenho do sistema operacional, tanto que está iniciando em 10 segundos. Bem, uma das maiores mudanças diz respeito a incorporação do Unity (desde a versão 10.10) como sendo o provedor de interface com o usuário, que roda em cima do GNOME, desenvolvido pela própria Canonical. Ao menu do sistema, foi dado o nome de Dash. Abaixo uma visão rápida do que estou falando e um exemplo de uma pesquisa pelo termo “firefox”.

Sem mais explicações, que tal fazer um tour online pelo Ubuntu e conhecer essa nova interface?

Mas, como adiciono um aplicativo no Dash?

Vamos colocar a mão na massa! Acesse sua pasta pessoal, procure a pasta “.local”, se não estiver visualizando, pode utilizar do comando CTRL+H (hide) para exibir ou ocultar pastas que iniciem com um ponto. Conseguiu? Então navegue até o diretório “.local/share/applications/”, esse é o diretório que você deve utilizar para criar seu lançadores.

No meu caso, vou criar um lançador para o aplicativo “PhpStorm“, podemos tanto criar um arquivo da maneira convencional quanto criar através da linha de comando do terminal. Procure pelo “terminal” no Dash.

Abriu? Ok então! Bom, como estou criando um lançador de aplicação para o phpstorm, vou chamá-lo de “jetbrains-phpstorm” e criá-lo digitando o seguinte comando no terminal:

$ gedit .local/share/applications/jetbrains-phpstorm.desktop

Lembrando que, a terminologia “.desktop” é crucial! E a seguir, vou preencher com o seguinte conteúdo (que diz respeito as especificidades do meu lançador).

[Desktop Entry]
Version=1.0
Type=Application
Name=JetBrains PhpStorm
Exec="/home/vinicius/Programs/PhpStorm-117.257/bin/phpstorm.sh" %f
Icon=/home/vinicius/Programs/PhpStorm-117.257/bin/webide.png
Comment=Develop with pleasure!
Categories=Development;IDE;
Terminal=false
StartupNotify=true
StartupWMClass=jetbrains-phpstorm

Mais ou menos assim:

Não esqueça de reiniciar o sistema para pegar o nome. Agora é só buscar no Dash! 😉

Taí funcionando:

Qualquer duvida, só postar nos comentários… Abraços!

Instalando o Ruby 1.9.3 no Ubuntu 12.04

2 maio

Kon’nichi wa, Ruby

Nunca li nenhuma definição tão comovente quando à do livro Why’s (poignant) guide to Ruby, e em especial o capítulo 2, escrito, desenhado e ilustrado pelo desaparecido Why the Lucky Stiff, que na verdade seu nome é Jonathan Gillette, Jack Black, ou sei lá o que!

Enfim! Precise Pangolin…

Como todos sabemos, o Ubuntu vem fazendo o Linux ganhar espaço muito rápido quando falamos nos termos de usuário final, duas versões a cada ano, sua ultima versão lançada em abril de 2012 é o Precise Pangolin, se não acredita, faça um tour online. Estou utilizando, e até agora está bem estável, melhor do que isso, só sendo LTS. Ahh… falando nisso, o Ubuntu 12.04 é LTS! 😉

Chega de blá, blá, blá! Como instalo o Ruby?

Simples!

No menu do sistema procure o terminal e abra!

Digite o seguinte supercomando e logo após confirme sua senha de superusuário:

$ sudo apt-get install ruby1.9.3

Óbvio, que vai perguntar se você quer baixar os pacotes do Ruby, sendo que eles são essenciais para o êxito da instalação. Depois de muito pensar, você deve decidir entre baixar e instalar digitando a opção S, sucedido do pressionar da tecla [Enter], ou não. Se não, pode fazer qualquer coisa, que nem com reza braba vai conseguir, fazendo dessa maneira! 😉

Lembrando que, se você não estiver conectado a internet, você só vai conseguir efetivamente baixar os pacotes, ou com magia negra, ou macumba, ou então faz igual ao Goku, começa a reunir as energias na natureza, lembrando que a ultima é muito perigosa, pode ser que consiga criar uma Genki Dama. Se assim fizer, não esqueça de postar como conseguiu fazer isso! 😉

Será que deu certo?

Bom, se de alguma maneira, você executou o que te falei, e quer saber de seu certo. Ainda no terminal, há uma maneira de executar código escrevendo de maneira interativa e executando linha por linha, através do IRB. Você pode aprender mais sobre o IRB pelo manual, e mais sobre como programar em Ruby no guia escrito pelo próprio Matz.

Vamos lá! Execute o comando:

$ irb

Agora é só aprender Ruby e testar alguns comandos.

Abraços!